Sobre os argumentos femininos

1081 0

Homens, não se iludam. Vocês dificilmente ganharão uma briga verbal com uma mulher. Na verdade nem precisa ser briga. Só vamos falar de argumentação mesmo. Nós temos domínio sobre todos os argumentos que foram inventados na humanidade. E se nós formos jornalistas ou advogadas, esquece. Melhor admitir a derrota do que ficar com aquela sensação de… derrota.  Já ouviram aquela piada de que o casamento é composto por duas pessoas, onde uma delas está sempre certa e a outra é o marido? Nada mais verdadeiro.

Segundo o Aurélio, a palavra argumento significa:

1 – Raciocínio de que se tira consequência.

2 – Objeção.

3 – Razão, prova.

4 – Exposição resumida.

5 – Texto com a ação, os diálogos e as indicações técnicas para a realização de uma obra cinematográfica ou televisual.

6 – Cada um dos elementos nominais que implicam uma relação de dependência com o predicado da frase

Vamos a um exemplo para “2 – objeção / 3 – razão, prova”. Outro dia o marido de uma amiga estava reclamando da conta de luz, que estava muito alta, que era necessário economizar, que aquilo era inadmissível, blá blá blá e aquilo tudo que todos nós sabemos. Ela calmamente (mentira) disse: será que podemos conversar sobre isso quando eu chegar em casa e não por telefone? Ele continuou esbravejando. Aí ela “mais calmamente ainda” disse: Então vamos lá… para economizarmos você terá que usar menos a p* do ar-condicionado e ficar menos tempo na p* do chuveiro quente, tudo bem? Seguiu-se a resposta: ok, meu amor, vamos conversar em casa quando você chegar.

Falando em piada, tem outra que exemplifica bem a força da argumentação feminina. É também um exemplo para “1 – raciocínio de que se tira consequência / 4 – exposição resumida”. O casal senta para conversar sobre como será a vida a dois após se casarem. Ele, cheio de si, explica: porque na minha casa as regras serão minhas… trabalho muito o dia todo, então mereço desestressar. Às segundas à noite eu tenho jogo de futebol com os amigos, terça à noite é dia de poker, quarta vou na casa do Pança ver futebol, quinta tem confraria, sexta tenho chopinho com a galera, sábado sempre rola um pagode e domingo gosto de dormir o dia todo. Aí ela, calmamente (mentira) diz pra ele: Tudo bem, meu amor. Eu também trabalho muito e mereço desestressar, então na minha casa vai ter sexo todos os dias, você estando lá ou não.

Ah sim… Claro que tem aquele dia que não estamos com nenhuma paciência para conversa e muito menos para argumentação (leia tópicos 5 e 6 acima). Aí sabe o que fazemos? Choramos lágrimas gordas e sentidas… Pronto. Você perdeu de novo.

Por Débora Bordin

 

 

Sobre o Autor